Header Ads

Semana decisiva para o futuro político de Rondônia

COMPARTILHAR NOTÍCIA
Semana decisiva para o futuro político de Rondônia
Porto Velho, RO – No próximo sábado (7) terminará o prazo para que deputados (federal, estadual) troquem de partido e tenha condições de disputar as eleições de outubro deste ano. Também é o prazo derradeiro para quem queira disputar as eleições majoritárias ou proporcionais esteja filiado a um partido político.

Em Rondônia o quadro eleitoral, ainda, está muito indefinido. A expectativa maior é sobre o futuro político-partidário do governador Confúcio Moura (MDB). Que ele vai renunciar é uma quase certeza, ao menos não há informações que a solenidade de posse, do vice-governador Daniel Pereira (PSB), no cargo de governador, que antes seria pomposa e realizada no Teatro Estadual Palácio das Artes a principio, será no plenário da Assembleia Legislativa (Ale), em solenidade simples e objetiva.

Hoje tem seis pré-candidatos declarados ao governo. O senador Acir Gurgacz (PDT), o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (MDB), o senador Ivo Cassol (PP) o advogado Jackson Chediak do PCdoB e o ex-prefeito de Porto Velho, José Guedes (PSDB) e Vinicius Miguel (Rede).

Cassol e Acir estão com dificuldades, porque foram condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ambos confirmam que estarão na disputa do governo do Estado este ano, mesmo que tenham que recorrer a liminares.

O presidente da Ale, Maurão de Carvalho e os dois senadores são os pré-candidatos com maiores chances de sucesso junto ao eleitorado, o que não quer dizer, que os demais serão apenas figurantes. A política do “já ganhou”, ou “está eleito” não existe. Um exemplo foi em Porto Velho em 2016.

No final da apuração das urnas o mais votado no primeiro turno foi Hildon Chaves (PSDB) que se elegeu prefeito no segundo turno com mais de 65% dos votos válidos, mesmo sendo um desconhecido na política. No primeiro turno, segundo o Ibope, Hildon tinha menos de dois dígitos na pesquisa publicada dois dias antes das eleições, mas chegou à frente do deputado estadual Léo Moraes (PTB). Hildon obteve 27,20% e Léo 26,12% dos votos válidos.

Há possibilidade, remota, que o vice, Daniel Pereira, assuma o governo e seja candidato à reeleição. Ocorre que Daniel tem compromisso firmado com o senador Acir, que indicou seu nome para vice, nas eleições de 2014. Na parceria entre PSB e PDT o vice seria indicado por Acir e o nome escolhido foi o de Daniel, que se mantém fiel ao senador, um fato raro na política atual, onde a infidelidade e a mentira são priorizadas, infelizmente.

No primeiro mandato de Confúcio ele no MDB (na época PMDB) também esteve fechado com o PDT. O vice era Airton Gurgacz (PDT), que hoje é deputado estadual e pré-candidato à reeleição.

Após o próximo dia 7 será possível um balanço real sobre o futuro político de Rondônia, no que se refere a pré-candidatos ao governo do Estado.

É importante destacar que o governador Confúcio dificilmente permanecerá no MDB, partido que o abrigou desde as eleições de 1994, quando ele se elegeu deputado federal. Comenta-se que Confúcio está entre dois partidos: DEM e PDT, mas não importa para onde vá, tem o compromisso de apoiar Acir, que foi seu parceiro nas eleições de 2010 e 2014. Resta saber se manterá a mesma fidelidade do seu vice, Daniel Pereira, que abre mão de uma candidatura à reeleição, com chances reais de sucesso, para apoiar Acir.

No caso de Acir abrir mão de concorrer, ou ficar impossibilitado Daniel seria o nome de consenso, para disputar o governo, no caso a reeleição. As eleições deste ano serão as últimas que permitirão reeleição aos cargos majoritários (presidente da República e governadores) e a partir de 2020 de prefeitos.

Daniel candidato, com a “máquina” governamental na mão, apoio do grupo liderado por Acir e do governador Confúcio Moura seria um nome muito difícil e ser batido.

Como tudo, ainda, são conjunturas a prudência recomenda aguardar o próximo sábado (6) quando o quadro político estará praticamente definido. Até lá tudo são especulações, das quais fazemos parte.

A semana promete.

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica