Publicidade
Publicidade
Publicidade 350x190
Publicidade 350x190

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Garimpeiros foram notificados para deixar área de proteção do Madeira

Compartilhar Notícia no Twitter e Facebook

1992016-142733-garimpo.jpg

As ações realizadas pelos órgãos de segurança para coibir a garimpagem na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Madeira não têm surtido efeito. Os garimpeiros insistem em burlar a lei e permanecem, principalmente, sobre a ponte que liga Rondônia ao Sul do Amazonas. Segundo a Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), uma nova operação será realizada para retirá-los do local. A polícia constatou que 15 dragas ainda estão operando durante a noite.

Nos últimos dias, os garimpeiros foram notificados e retirados pela Polícia Federal e Marinha, mas eles retornaram e continuaram a extração de ouro. E várias denúncias dão conta que as dragas e balsas retornam para o local no período da noite, atuando até a manhã do dia seguinte.

De acordo com a Sesdec, as dragas continuam a operar sobre a ponte do Rio Madeira e a qualquer momento uma nova operação será feita para retirar os garimpeiros do local. “A gente verificou que de forma educativa não tem surtido o efeito desejado nas operações, então estamos programando brevemente uma nova operação para que eles cumpram o que a lei determina”, explica o coronel André Glanert.

Na última operação feita pela Polícia Federal, seis dragas foram apreendidas, sendo conduzido para Central de Polícia dois garimpeiros presos em flagrante.

A área de preservação onde a extração de minérios é proibida tem extensão de aproximadamente 10 quilômetros e se estende de torno das usinas hidrelétricas até a curva do Belmont. Após esse trecho, o garimpo é permitido. De acordo com o levantamento feito pela polícia, no trecho entre a Usina de Santo Antônio e na divisa do Amazonas, cerca de 300 balsas e 50 dragas continuam garimpando ouro na região.

Fonte: RONDONIAGORA.COM

Curta Nossa Página no Facebook - Clique na Imagem