Publicidade
Publicidade
Publicidade 350x190
Publicidade 350x190

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Alto Paraiso: Professores fecham ponte sobre o Rio Jamari durante protesto

Compartilhar Notícia no Twitter e Facebook

Em greve, servidores de Alto Paraíso pedem aumento de salário.Ponte da RO-459 ficou bloqueada nos dois lados por mais de uma hora.

Categoria pede aumento salarial conforme piso nacional (Foto: Jonatas Boni/G1)

Professores da rede municipal de Alto Paraíso (RO), no Vale do Jamari, fecharam a ponte sobre o Rio Jamari, na RO-459, durante um protesto nesta quinta-feira (25). Em greve desde o dia 15 de junho, os educadores pedem aumento salarial, conforme o piso nacional. A ponte, que dá acesso ao município, foi fechada nos dois sentidos por mais de uma hora.

Segundo o representante local do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (Sintero), a principal reivindicação da categoria é quanto ao não cumprimento do Plano de Cargos e Salários (PCCS) pelo município. "Em relação aos técnicos de Alto Paraíso, eles não têm salário adequado. Para falar a verdade não ganham nem o salário mínimo. O município não está respeitando o piso nacional do salário dos professores", afirma.

Ainda conforme Adevair, a prefeitura não estaria pagando os 5% a mais para quem é graduado. "Além do nosso piso salarial, nós temos direito de receber mais 5% e isto não está sendo cumprido", declara. O Sintero informou que há seis meses a categoria negocia com a prefeitura de Alto Paraíso, mas não tiveram o reajuste.

A educadora Rose Ferreira diz que a decisão de fechar a ponte sobre o Rio Jamari foi feita a fim de chamar a atenção da sociedade. "Esse pit stop durou cerca de uma hora, mas a nossa greve não vai acabar", declara.

Com o bloqueio na ponte da RO-459, vários carros e caminhões foram impedidos de passar pelo local. Apenas os veículos de emergências foram autorizados a trafegar e seguir viagem.

Sem previsão de aumento
Procurado pelo G1, o prefeito de Alto Paraíso, Marcos Leghi, informou que não existe previsão para aumentar o salário dos educadores. "Os municípios do estado estão em crise e todos sabem disso. Não tem como a gente fazer reajuste neste momento", afirma.

Segundo o prefeito, nenhum professor da rede municipal recebe salário abaixo do piso nacional, conforme foi alegado na manifestação. "Nós temos hoje cerca de 190 professores no município e cerca de 60, apenas, aderiram à paralisação", declara.

Os educadores que não aderiram ao manifesto continuam nas salas de aula. Leghi informou que uma reunião deve ser realizada com os professores na tarde desta quarta para discutir a pauta de reivindicação.

Fonte: Jonatas Boni Do G1 Ariquemes e Vale do Jamari

Curta Nossa Página no Facebook - Clique na Imagem